O transporte coletivo METROPOLITANO. Rio Branco e Itaperuçu se mobilizam.


Você sabe o que é a Grande Curitiba? É o nome dado ao conjunto do município de Curitiba e municípios vizinhos, também chamados de região metropolitana de Curitiba ou RMC. A maioria destas cidades orbita em torno de Curitiba, como cidades dormitório, servindo a capital com mão de obra e outros recursos.

Estando próximas entre si e de Curitiba, estas cidades precisam de um gerenciamento especial de suas políticas públicas para que haja convergência de interesses na resolução de problemas como água, lixo, meio ambiente, transporte coletivo, etc… No caso da Grande Curitiba, um órgão chamado COMEC é o reponsável executivo por este gerenciamento.

No transporte coletivo, a COMEC age junto com a URBS para fornecer ao cidadão um serviço de péssima qualidade e sem nenhuma segurança ou fiscalização, normalmente com uma tarifa superior a dos ônibus municipais.

O Diretor de Transportes da COMEC é Carlos do Rego Almeida Filho, um dos homens mais ricos do Paraná, irmão do deputado Marcelo Almeida (PMDB), todos ligados a empreiteira CR Almeida, que é ligada a exploração de pedágios no Paraná, “combatidos” pelo ex-governador e atual senador Requião (PMDB).

O presidente da URBS é velho conhecido nosso, o Sr. Marcos Isfer, um dos idealizadores da licitação fraudulenta do transporte coletivo, no valor de R$ 8,5 BI, que beneficiou famílias Gulin, Bertoldi e Curi (esta última dona do “feudo” de transporte de Rio Branco).

Rio Branco é uma destas cidades da região metropolitana. Foi criada por causa da Cimentos Rio Branco, que pertence ao grupo Votorantim, tradicional monopólio do cimento no país. O cimento requer muita energia e recursos naturais em sua fabricação e Rio Branco fornece todos os seus recursos a esta corporação cujo representante mais conhecido é Antônio Ermírio de Moraes. A cimentos Rio Branco resolve o problema de transporte de seus trabalhadores fretando ônibus particulares, já que o transporte coletivo é caro e ruim, diminuindo a produtividade de seus trabalhadores.

Em Rio Branco, um grupo de pessoas se organizou em prol de um benefício coletivo para fazer frente aos absurdos dos ônibus e, através de manifestações e atos por via institucional estão tentando dar uma condição minimamente digna a todos os cidadãos que utilizam o transporte coletivo na cidade.

Não é uma luta fácil e eles têm que enfrentar até mesmo a chacota do sistema URBS/COMEC que já chegou a falar “Sardinha viaja enlatada e não reclama!”

São vários os problemas:

SUPERLOTAÇÃO: os vereadores de Curitiba legalizaram 6 passageiros/m2, uma superlotação que já é absurda (e que não é fiscalizada), porêm os veículos que servem Rio Branco e Itaperuçu conseguem até mesmo ultrapassar esta superlotação, criando uma situação humilhante para o cidadão.

DEMORA: a frota é reduzida nos domingos, feriados e fora dos horários de pico, causando imensa demora, espera e falta de segurança.

FALTA DE LINHAS: o ônibus chega em Rio Branco e “despeja” os cidadãos em determinada localidade. Faltam linhas que complementem o trajeto até suas residências, assim é necessário ainda caminhar longos trechos a pé, sob sol, chuva e em trechos de baixa urbanização e portanto com pouca ou nenhuma segurança.

PRECARIEDADE NOS PONTOS: já em Curitiba, na praça 19 é possível notar o nível de precariedade dos pontos de ônibus. As longas filas expõem passageiros a sol e chuva, além de alagamentos nos dias de chuva.

CUSTO DA PASSAGEM: o custo da passagem, mais elevado, é outro agravante para fortalecer a segregação dos cidadãos de Rio Branco, já que os empregos estão em Curitiba e em Rio Branco faltam hospitais e locais de laser para o cidadão.

Em 27.03.12, o grupo de Rio Branco e o MPL Curitiba mobilizarão os usuários do sistema através de um ato a ser realizado às 17:30h, no ponto de ônibus da praça 19 de dezembro (casal nu). Eles também demonstrarão a cópia de carta protocolada na URBS. A COMEC/URBS normalmente coloca ônibus extra para desmobilizar os atos previamente comunicados, mas desta vez contaremos com a consciência dos usuários em prol do coletivo.

A minuta da carta protocolada junto a URBS pode ser vista AQUI !

Maiores informações sobre a organização e mobilização do coletivo de Rio Branco e Itaperuçu com Claudete (claudetegalli@hotmail.com) e Maurício (mauricio-xixo@hotmail.com).

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s